Conectando brasileiros pelo mundo.

Ter sotaque é tão ruim assim?

​​​​​​​​

No Brasil, falar outra língua, como o inglês por exemplo, existe uma certa "vergonha" ou as vezes não é aceito socialmente, se tiver sotaque de brasileiro. Mas a questão é, realmente precisamos não ter sotaque para sermos entendidos?

 

Perder o sotaque é uma tarefa muito difícil e cara. O sotaque é uma característica física e não mental. Muitos bilíngues tem a total consciência da pronúncia correta da palavra, mas na hora de fazer o som com a boca, ele não sai como se imagina. Isso se dá por uma questão de treinamento da língua.

 

Pesquisadores dizem que crianças, que aprendem uma segunda língua até os 8 anos, pronunciam as palavras livre de sotaque. Isso se dá ao fato que até os 8 anos, a criança ainda está em uma fase de mudanças fisiológicas, especialmente na área da fala. A boca ainda está em fase de formação e as palavras que elas pronunciam, fazem uma grande diferença de como os músculos da língua serão formados.

 

Para adolescentes e adultos, modificar essa formação muscular da língua é uma tarefa extremamente difícil e requer muita prática em movimentos específicos da língua. Até você conseguir fazer esses movimentos, com maestria, o som das palavras vão soar imperfeitos, forçados e às vezes irreconhecíveis para pessoas que não acostumadas com estrangeiros. Portanto, a pessoa fala com sotaque por, fisicamente, não conseguir fazer os movimentos necessários para criar o som e não por não dominar o idioma.

 

Mas a questão é, você realmente precisa perder o sotaque para ser entendido? A resposta é simples: Não!

 

No Brasil, temos diversos sotaques e maneiras de falar o português e mesmo assim, nós nos entendemos perfeitamente. O sotaque às vezes deixa um pouco mais difícil a comunicação, mas não é um fator tão importante para o entendimento.

 

O que vale mais é a entonação das palavras. Saber quando e como fazer a entonação na hora de falar uma palavra respeitando a sílaba tônica, é muito mais importante do que fazer o som correto de outras sílabas. Por exemplo, o som do "TH" na hora de falar "Worth" em inglês, não é tão importante quanto saber quando dar ênfase na palavra. Quer um exemplo prático? Na hora de você pedir um sorvete de coco, o sotaque é totalmente irrelevante, porém, ao pronunciar a palavra coco, você deve fazer a entonação na primeira sílaba que é a tônica ou terá problemas com o vendedor.

 

Na própria língua inglesa existem diversos sotaques como o inglês britânico, americano, sul africano, australiano, irlandês e entre outros. Como você vai definir qual sotaque está "correto" para você seguir? Outro exemplo da irrelevância do sotaque seria entre os nossos vizinhos latinos, cada país fala o espanhol com os seus devidos sotaques. Dizer que o espanhol "correto" é o falado na Espanha, é o mesmo que dizer que o português "correto" só se fala em Portugal.

 

Resumindo, para se perder o sotaque, você deve fazer mudanças mais físicas do que mentais, por isso é tão difícil falar igual um nativo. Logo, preocupe-se mais em pronunciar as palavras com a pronúncia correta, fazendo o som o mais próximo possível do ideal. Deixe o sotaque um pouco de lado, pois ele não vai te impedir de se comunicar com os estrangeiros.

 

Se você tem curiosidade de como o sotaque funciona cientificamente, escute esse podcast sobre a ciência da linguagem, mais especificamente sobre sotaque, a partir dos 27:00 minutos. http://nerdcast.jovemnerd.com.br/nerdcast_462_ciencia_da_linguagem.mp3

 

Gostou, não gostou, tem uma dúvida? Deixe o seu comentário abaixo.

Compartilhe

Dicas Populares